Notícias

Sol do outono também pode provocar envelhecimento da pele

Nenhum comentário

Saiba como se prevenir

Que o sol é um dos principais responsáveis pelo envelhecimento da pele, todos já sabem. Mas a proximidade do outono, que começa no dia 21 de março, não é motivo para deixar o protetor solar de lado, mesmo quando o dia estiver nublado. O motivo é que a radiação continua forte durante a estação em áreas tropicais, como é o caso do Brasil, e em dias em que o sol está encoberto 80% da radiação pode atravessar as nuvens e provocar danos à derme.

Como o tempo é implacável com a pele, com o passar dos anos, ela se torna mais fina, seca e a gordura, que dá o ar da juventude, começa a desaparecer. Além disso, a produção de acetilcolina, neurotransmissor responsável pela contração muscular, vai sendo reduzida gradativamente no organismo. Com isso, os anos passados embaixo do sol de forma indevida podem acelerar esse processo, deixando marcas na pele precocemente.

A manicure Maria da Paz Pereira, de 52 anos, conhece bem os efeitos do sol na pele. A partir dos 30 anos, ela percebeu que manchas escuras começaram a aparecer no seu rosto, colo e braços, e decidiu começar a se cuidar. “Depois do susto, comecei a usar protetor solar com fator de proteção 50 todos os dias, antes de sair de casa. Além disso, tenho o hábito de passar cremes antirrugas diariamente no meu rosto, antes de dormir. Depois que comecei essa rotina diária de cuidados, senti que minha pele parou de envelhecer tão rapidamente”, diz.

A boa notícia é que é possível se prevenir dos efeitos do sol. Confira as dicas abaixo:

mantenha-se hidratado. Ingira muita água, mesmo quando não estiver sentindo sede;

se proteja do sol, utilizando bloqueadores solares com, no mínimo, fator de proteção número 30. Aplique generosamente o filtro meia hora antes de se expor à radiação solar;

quando estiver na praia ou na piscina, utilize sempre barracas, bonés, viseiras ou chapéus, para se proteger dos raios solares;

comece a usar hidratante no rosto e no corpo a partir dos 20 anos. Ele vai ajudar a diminuir os efeitos causados diariamente pela exposição ao sol;

a partir dos 25 anos, use cremes ao redor dos olhos, de preferência os que contêm dimetilaminoetanol, mais conhecido como DMAE. A substância tem efeitos tensores que melhoram a flacidez, linhas de expressão e rugas.

Caso a pele já tenha sofrido as consequências da exposição inadequada ao sol, não se preocupe. Segundo o cirurgião plástico, Dr. Rodrigo Cruvinel, membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), existe hoje uma série de procedimentos estéticos que visam diminuir os efeitos do envelhecimento precoce na pele. “Os tratamentos vão desde a aplicação da famosa toxina botulínica, mais conhecida como botox, até as cirurgias reparadoras, como o lifting facial, que remove o excesso de pele do rosto para levantar bochechas caídas, dar definição na linha do maxilar e até corrigir a chamada papada”, explica.

Apesar da gama de procedimentos disponíveis para amenizar as marcas na pele, o Dr. Rodrigo alerta que eles não são milagrosos. “É impossível fazer com que uma pessoa, na faixa dos 50 anos, que teve envelhecimento precoce, volte a ter uma pele de 20 anos. As intervenções vão melhorar muito a aparência do paciente, mas não vão fazer milagres, por isso, a melhor maneira para postergar os procedimentos cirúrgicos é se prevenindo”, alerta o especialista.

Tags: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Equívocos comuns sobre mamoplastia de aumento e mastopexia
Música pode ajudar recuperação da cirurgia
Leia mais
Menu